Prewedding Rio de Janeiro

Luciene e Eduardo

Em "Les Amants du Pont-Neuf" (Leos Carax, França, 91) Juliette Binoche vive um personagem com uma doença degenerativa que lhe toma a visão aos poucos.


Lá pelo meio do filme ela e o namorado invadem - com a ajuda de um ex-funcionário que levou consigo todas as chaves - um museu (Louvre?) em plena madrugada.


Impedidos de acender as luzes, e com a visão já bem comprometida, Binoche visita os quadros com as mãos.  Com seus dedos mergulha por entre os golpes de pincéis na tela - e seguindo o relevo da tinta reconstrói a obra em sua mente.


A um bom punhado de anos atrás posso dizer que tive meu próprio ladrão de chaves. Não do Louvre, mas de toda uma cidade traduzida pelas lentes da boemia.

Arco do Telles, Travessa do Comercio, Theatro Municipal, Cinelândia, Bola Preta, Eschcafé, calçadão de Copacabana. Cada passo uma história, com o brilho nos olhos de quem fez da investigação atenta da linha do tempo sua profissão. 


Ser apresentado a uma cidade histórica por Eduardo, professor apaixonado por História e ainda por cima carioca? Baita privilégio. Só não maior que o deste meu professor em viagem, que a 10 anos tem a seu lado uma paulistana de um astral e uma generosidade que custo encontrar neste mundo.

Riso solto debochado, absoluta e feliz com o vai-e-vem das formas que o corpo e a vida assumem ontem hoje e amanhã - e violoncelista que reverbera a alma em seu instrumento, Luciene continua a mesma companhia leve e maravilhosamente necessária de sempre.


Este casal que me entregou à cidade purgatório da beleza e do caos vem preenchendo meus últimos 10 anos com muitas risadas - e histórias.